16 de setembro de 2011

Seis anos depois...



Oi mãe!
Hoje só queria dizer que estou com saudade... sinto saudade todos os dias, mas a de hoje é especial... não sei explicar porque esse ano está com cheiro de flor fresca... terra molhada... sabe aquela saudade diferente? Pois então... é assim...
Sinto saudade de ficar na sala vendo televisão ao seu lado, fazendo nossos crochês e conversando sobre a vida. Sinto saudade do seu café no meio da tarde ou então daquele chá gelado batido com limão quando estava muito calor. Sinto saudade de ver você brincando com a  pequena Bia e imagino sua alegria com a nossa Julinha que tenho certeza encheria seus dias de alegrias...  Sinto saudade de tudo o que não tive tempo para compartilhar ao seu lado.
Por isso mãe, hoje quero dizer pra você que só posso agradecer à Deus por ter me dado a mãe que eu necessitava ter. Prá mim, a melhor mãe do mundo. Não vou dizer que não tinha defeitos, afinal, todos nós os temos e hoje enxergo aquilo que eu via como defeito pela imaturidade da idade ou mesmo pela rebeldia dos poucos anos, refletidos em mim mesma. Hoje, vejo tudo isso como necessidade para a criação dos filhos. Quando a mãe briga com a gente muitas vezes não enxergamos a real intenção apenas vemos aquela pessoa que implica com tudo o que a gente faz. Não conseguimos ver que ela só pretende nos preparar para a vida da melhor forma possível, nos ensinando e orientando pelos melhores caminhos.
Hoje eu vejo tudo isso quando chamo a atenção das meninas e espero que elas algum dia também me compreendam.
Sabe mãe, nesses seis anos que já se passaram, nunca em nenhum dia, questionei Deus porque tirou você de perto de mim, porque sei que ele apenas recolheu um corpo que já não suportava mais viver, que não agüentava passar por tantos sofrimentos físicos... Ele te libertou para continuar tua caminhada e sei que hoje continua perto de mim...
Então, quero apenas registrar o meu “oi mãe!” entrar em casa assoviando e poder ouvir o teu assovio de volta... lembra? Essa era a forma de dizer olá quando chegávamos  em casa...
Junto com esse “oi” quero lhe oferecer essa música que eu ouvi incansavelmente todos os 52 dias que você ficou no hospital em sua última internação e sempre teve e terá um significado muito importante para mim... ela retrata os meus sentimentos de uma forma que não sei explicar.
Fique em paz! Esteja em paz! Desejo-lhe felicidade e dedico meu amor a essa mãe que você sempre será... siga seu caminho que nós continuaremos sempre te amando...
 Beijos de sua família...


5 comentários:

Samanta Sammy disse...

Olá minha querida amiga !!!

Linda e emocionante sua homenagem !
Mostra bem que soube aproveitar os momentos que viveu ao lado dela, tendo assim muitas lindas lembranças para acalentar seu coração nesta saudade que nunca se acaba, apenas se ameniza com o tempo...
Muita sensibilidade e coragem da sua parte não questionar e aceitar em paz o ciclo natural da vida e ter em seu coração generosidade pra saber que por um lado, mesmo que difícil, que ela cumpriu sua missão aqui na Terra.
Por relatos como este é que procuro também aproveitar e valorizar ao máximo os momentos que passo com minha mamys, pois sei que esta situação é inevitável e quero levar comigo boas recordações e nenhum arrependimento :)
Muito bonitas as suas palavras,

Um enorme beijo e que o fim de semana de todos vocês seja de paz e muito amor :)

Gisele Munhoz disse...

Querida e amada Lu!

O que posso dizer depois de uma homenagem tão linda é que o amor sempre transporá todas as distâncias... um dia estaremos todos juntos!

Beijinhos em seu coração!

Gisele

Malu disse...

Ai, meu Deus!!! Deu saudades da minha linda MÃE também.
Já me deixou cheia de lágrimas...
Mãe é coisa misteriosa...
Eu amo a minha demais da conta!!!
Abraços

Marcela disse...

Lu! Que benção poder guardar lembranças tão doces... Lembrança é uma forma de ficar...
Deus proteja vc e sua família e sua mãe ao lado Dele!
Bjos

Anônimo disse...

Lu

somente um muito obrigado, vou me reservar a não chorar no seu blog.

Bjs te amo seu irmão.

Duduzinho

Postar um comentário