10 de maio de 2011

ABORRECIMENTOS


Nada mais comum, nas atividades terrenas, do que o hábito enraizado das querelas, dos desentendimentos, das chateações.

Nada mais corriqueiro entre os indivíduos humanos.

Como um campo de meninos, em que cada gesto, cada nota, cada menção se torna um bom motivo para contendas e mal-entendidos, também na sociedade dos adultos o mesmo fenômeno ocorre.

Mais do que compreensível é que você, semelhante a um menino de pavio curto, libere adrenalina nos episódios cotidianos que desafiem a sua estabilidade emocional.

Compreensível que se agite, que se irrite, que alteie a voz, que afivele ao rosto expressões feias de diversos matizes.

Em virtude do nível do seu mundo íntimo, tudo isso é possível de acontecer.

Contudo, você não veio à Terra para fixar deficiências, mas para tratá-las, cultivando a saúde.

Você não se acha no mundo para submeter-se aos impulsos irracionais, mas para fazê-los amadurecer para os campos da razão lúcida.

Você não nasceu para se deixar levar pelo destempero, pela irritação que desarticula o equilíbrio, mas tem o dever de educar-se, porque tem na pauta da sua vida o compromisso de cooperar com Deus, à medida que cresça, que amadureça, que se enobreça.

Desse modo, os seus aborrecimentos diários, embora sejam admissíveis em almas infantis e destemperadas, já começam a provocar ruídos infelizes, desconcertantes e indesejáveis, nas almas que se encontram no mundo para dar conta de compromissos abençoados com Jesus Cristo e com Seus prepostos.

Assim, observe-se. Conheça-se no aprendizado do bem, um pouco mais. Esforce-se por melhorar-se.

Resista um pouco mais aos impulsos da fera que ainda ronda as suas experiências íntimas.

Aproxime-se um pouco mais dos Benfeitores Espirituais que o amparam.

Perante as perturbações alheias, aprenda a analisar e não repetir.

Diante da rebeldia de alguém, analise e retire a lição para que não faça o mesmo.

Notando a explosão violenta de alguém, reflita nas consequências danosas, a fim de não fazer o mesmo.

Cada esforço que você fizer por melhorar-se, por educar-se, será secundado pela ajuda de luminosos Imortais que estão, em todo tempo, investindo no seu progresso, para que, pouco a pouco, mas sempre, você cresça e se ilumine, fazendo-se vitorioso cooperador com Deus, tendo superado a si mesmo, transformando suas noites morais em radiosas manhãs de perene formosura.

* * *

Quando você for visitado por uma causa de sofrimento ou de contrariedade, sobreponha-se a ela.

E, quando houver conseguido dominar os ímpetos da impaciência, da cólera, ou do desespero, diga, de si para consigo, cheio de justa satisfação: Fui o mais forte.



Redação do Momento Espírita com base no cap. 13 do livro Para uso diário, pelo Espírito Joanes,
psicografia de Raul Teixeira, ed. Fráter.
Em 06.12.2010.



Em minha modesta opinião, todos temos o direito muitas vezes, de perder a paciência, de "chutar o balde".
Também faz parte de nossa caminhada.

Mas, até que ponto isso nos favorece ou nos prejudica? Será que realmente é o melhor a ser feito? Naquele momento de nervoso e irritação com certeza é o que parece... mas, vamos pensar melhor a respeito: quais serão as consequências para nós mesmos desses atos impensados? Arrependimento, mágoas, tristezas, nervoso descontrolado, irritação maior ainda, sentimento de culpa, e até mesmo dores físicas, pois nossos nervos e músculos sentem e refletem tudo isso.
Por isso mesmo eu digo, vamos tentar controlar nossas emoções e impulsos desenfreados. Quando tivermos vontade de gritar, chingar, ofender e dizer o que vem em nossas mentes... respire fundo e conte até dez...

Tenha certeza que na hora em que conseguir segurar uma atitude agressiva de qualquer forma que seja, sentirá uma paz muito grande dentro de seu coração e aí, agradeça à Deus por isso...

Beijos à todos e um lindo dia!!!
Lu

6 comentários:

Jackie Freitas disse...

Oi Lu, minha linda!
Querida, uma das maiores dificuldades que temos é a de dominar os sentimentos. Estou lendo um maravilhoso livro do Dr. Agusto Cury que trata sobre a educação das emoções. Tentamos ter controle sobre tudo, mas quando se trata de nossas emoções, somos totalmente influenciáveis por elas...
Com muita disciplina, estou aprendendo, lentamente, a não me deixar levar pelo nervosismo, porque, como você bem escreveu, chutar o balde é sempre a melhor e mais rápida das opções. Porém, o que isso nos acrescenta em termos de aprendizado, não é? Por isso que amo a frase de Buda que diz: "Dominar-se a si próprio é uma vitória maior do que vencer a milhares em uma batalha"... E essa batalha constante e diária é mais conosco do que com o mundo... Se não tivermos nosso equilíbrio e auto-controle, não estamos preparados para enfrentar os muitos problemas que nos surgirão pela vida!
Grande beijo, amada!
Jackie

Denise disse...

Luciana, obrigada pela visita. Fiquei muito feliz com as palavras q deixaste em meu espaço.
Adorei visitar vc, já me tornei seguidora.
Qto a sua postagem, foi um puxão de orelhas. Já estava com a consciência pesada por uma atitude q eu tomei ontem, após ler esse artigo então... As vezes escorregamos. Ideal seria q conseguissemos manter o equilíbrio em todos os momentos de nossa vida, até nos piores. Muita paz!

Gisele Munhoz disse...

Olá querida cunhadinha!

Primeiro quero parabenizá-la pelo novo layout do blog, ficou lindo!

Quanto a mensagem, como é difícil não se aborrercer... queremos ser donos de todas as verdades e não temos limites em sobrepesar as limitações daqueles que estão a nossa volta.

Que possamos reconhecer essa nossa falha e ter paciência para lidar com as situações difíceis de nosso dia a dia.

Bjokas
Gisele

Emoções disse...

A paz é a única forma de nos sentirmos realmente humanos.

Cata disse...

Oi LU!!!!
Adorei a nova cara do blog!!!
Menina, que texto,hein?! Quando terminei de ler, vi o quanto ainda preciso trabalhar. Mas isso é bom. "Reza e serviço é que curam loucura", já dizia meu avô!!!
Um Beijo grande.

Samanta disse...

Olá minha querida amiga !!

Por muitos anos fui bem estressadinha, daquelas de discutir e até mesmo rolar no chão brigando na rua... não aceitava opiniões contrárias e me irritava com tudo, e se agissem assim comigo, aí sim o circo estava formado...
Com o tempo, fui aprendendo que isso me deixava exausta e também depois que aprendi artes marciais, pude ver as coisas de uma outra forma, aprendi a ter serenidade , a respeitar as pessoas e a não me envolver em pendengas a toa... Isso me fez um bem extraordinário !!!
Hoje ainda tenho meus momentos de stress e tem gente que me tira do sério, mas quando possível, sempre procuro me manter calma, porque percebi que assim, os dois lados ganham e aprendem.
Lindo texto, obrigada por compartilhar !!
beijosssss

Postar um comentário